09 março 2006

Você Sabia?

Estatística

Dois em cada cem adultos e cinco por cento das crianças gaguejam. 1% da população adulta gagueja. 80% das pessoas adultas que gaguejam são homens.

...e rompendo as estatísticas

Lewis Carrol, escritor e matemático inglês, nasceu em 27 de janeiro de 1832, em Daresbury, Cheshire (Inglaterra). Filho de um pastor protestante, foi o mais velho de 11 filhos: quatro homens e sete mulheres, todos eles gaguejavam.

Mudando de nome

Algumas pessoas que gaguejam têm grandes dificuldades para dizer seu nome. O que por ser extremamente embaraçoso, alguns recorrem à troca de nome por um outro que possam falar com facilidade. Uma vez que efetuam a troca legal do nome, a pessoa se dá conta que pode dizer com facilidade o nome antigo, mas bloqueia gravemente no novo.

Sobre o sexo

Um revelador estudo nos EUA afirma que o sexo é a melhor terapia para as pessoas que gaguejam. As pessoas nervosas que se envergonham ou gaguejam al falar em público deveriam ter um encontro sexual antes de proferir seu discurso para relaxarem. Assim comprovou uma pesquisa realizada pela Universidade de Pailay, nos Estados Unidos que analisou a conduta em 24 mulheres e 22 homens durante duas semanas. Segundo o cientista responsável pelos estudos Stuart Brody, "o encontro sexual libera ocitocinas, hormônios que podem chegar a redistribuir os efeitos relaxantes".

Gagos disfarçados

As pessoas que gaguejam recorrem a substituição de palavras para evitar gaguejar. Quando acreditam que vão gaguejar em uma palavra específica, tratam de encontrar outra alternativa que tenha o mesmo significado. Alguns gagos têm tanta habilidade no uso desta técnica que ninguém, nem mesmo sua namorada, sabe que são gagos. As pessoas que conseguem ocultar sua gagueira utilizando substituições de palavras são conhecidas como "gagos disfarçados". Estas pessoas padecem de um grande sofrimento em virtude da falha na fala. A busca antecipada de palavras temidas provoca muita tensão e a substituição das palavras pode não ser a mais adequada para a intenção original. Em alguns casos, essas pessoas podem pedir pizza quando desejariam comer uma macarronada, ou se comprometem em suas opiniões.


Eu traduzi (desculpem-me desde já por qualquer eventual equívoco) estas curiosidades, do sítio do GATA, Grupo de Autoayuda de Tartamudos de Asturias. O mais novo vínculo presente na coluna aqui do lado direito. Mais um espaço para ser explorado por quem quer descobrir um pouco mais sobre a gagueira.

2 comentários:

mariangela disse...

oi, wladimir
achei muito legal essas colocações sobre "curiosidades".
na verdade não são. já estão explicadas nas teorias que vislubram e explicam a gg num contexto psico-social. penso que todos os ítens são explicáveis e justificáveis na teoria da Dra. Silvia Friedmam.
TEmos o site www.paginas terra.com.br/saude/fluencia
onde colocamos o trabalho dela.Responde estas perguntas.
grande abraço
mariângela.

Arnoud disse...

Como é?

Transar antes de falar em público diminui as chances de gagejar?

Rapaz... mesmo sendo sério, não deixa de ser uma boa desculpa para se dedicar aos prazeres da carne.

Abraços!