02 agosto 2005

O Pote Rachado - Defeito ou Qualidade?

Um carregador de água na Índia levava dois potes grandes, ambos pendurados em cada ponta de uma vara a qual ele carregava atravessada em seu pescoço. Um dos potes tinha uma rachadura, enquanto o outro era perfeito e sempre chegava cheio de água no fim da longa jornada entre o poço e a casa do chefe. O pote rachado chegava apenas pela metade.

Foi assim por dois anos, diariamente, o carregador entregando um pote e meio de água na casa de seu chefe. Claro, o pote perfeito estava orgulhoso de suas realizações. Porém, o pote rachado estava envergonhado de sua imperfeição, e sentindo-se miserável por ser capaz de realizar apenas a metade do que havia sido designado a fazer.

Após perceber que por dois anos havia sido uma falha amarga, o pote falou para o homem um dia, à beira do poço:
- Estou envergonhado, quero pedir-lhe desculpas.
- Por quê?, perguntou o homem. - De que você está envergonhado?
- Nesses dois anos eu fui capaz de entregar apenas metade da minha carga, porque essa rachadura no meu lado faz com que a água vaze por todo o caminho da casa de seu senhor. Por causa do meu defeito, você tem que fazer todo esse trabalho, e não ganha o salário completo dos seus esforços, disse o pote.

O homem ficou triste pela situação do velho pote, e com compaixão falou:
- Quando retornarmos para a casa do meu senhor, quero que percebas as flores ao longo do caminho.

De fato, à medida que eles subiam a montanha, o velho pote rachado notou flores selvagens ao lado do caminho, e isto lhe deu ânimo. Mas ao fim da estrada, o pote ainda se sentia mal porque tinha vazado a metade, e de novo pediu desculpas ao homem por sua falha. Disse o homem ao pote:

- Você notou que pelo caminho só havia flores no seu lado do caminho??? Notou ainda que a cada dia, enquanto voltávamos do poço, você as regava??? Por dois anos eu pude colher flores para ornamentar a mesa do meu senhor. Sem você ser do jeito que você é, ele não poderia ter essa beleza para dar graça à sua casa.


Autor desconhecido

3 comentários:

Anônimo disse...

Wladimir, estou acessando pela primeira vez.

Excelente, na forma e conteúdo.

Belo grafismo, português corretíssimo, mensagens diretas.

Você está mostrando ao que veio. Palavras impõem, o exemplo arrasta.

Aceita contribuições ?

Anônimo.

Wladimir disse...

Anônimo, aceito contribuições sim! Pretendo o máximo possível levar informações pertinentes para esclarecer o mundo sobre a gagueira. Aceito a sua contribuição após a sua identificação, obviamente. Obrigado pelas palavras gentis.

Anônimo disse...

Wladimir, Você sabe quem eu sou.

Continue seu trabalho.

Eu estou fazendo o meu.

Não pretendo ser a ponta do Iceberg, mas a base da montanha.

Minha casa não vai cair, simplesmente porque eu não tenho casa.

Meu quintal é o Universo, meu guia é o Sol.

E Você é uma estrêla que brilha no funesto pântano da desinformação acerca de como carregar o fardo da gagueira !

Olavo.